COMO FUNCIONA: FINANCIAMENTOS

Quando se trata de adquirir um novo bem a maioria dos brasileiros não conseguem planejar, guardar dinheiro e comprar à vista, apelando para os financiamentos.

Uma das principais desvantagens em se financiar algo é, no final pagar muito mais caro pelo mesmo produto/bem.

Claro que em algumas situações de real necessidade é compreensível que você escolha essa modalidade de pagamento, mas ela deveria ser sua última opção.

Se no final das contas a sua decisão for financiar um bem, é muito importante saber como funciona.

Pensando nisso trago esse post que vai explicar como funciona os dois financiamentos mais utilizados no nosso país: para imóveis e automóveis.

 

COMO FUNCIONA: FINANCIAMENTO DE AUTOMÓVEIS

 

O financiamento de automóvel pode ser feito diretamente com o banco, independente do veículo ser novo ou usado.

Como não há a necessidade da concessionária atuar como intermediadora, você não precisa negociar o financiamento com o “seu banco”, podendo escolher o de sua preferência.

O financiamento dependerá dos seus rendimentos e o quanto da sua renda poderá ser comprometido.

 

Os Tipos:

 

CDC – Crédito Direto ao Consumidor: esse é um tipo de empréstimo feito ao consumidor, onde o veículo financiado fica no nome do comprador porém, alienado ao banco.

Dessa forma, fazer uma nova negociação com esse veículo, só será possível após a quitação de todas as parcelas.

Todas as taxas dessa modalidade são fixadas no contrato, sem sofrer alterações durante o período.

Lembrando ainda que nessa operação cobra-se IOF.

 

Leasing: o banco que trabalha com esse sistema de financiamento, “compra” o veículo que você escolhe e lhe cobra um “aluguel” por ele por um prazo determinado.

O documento do veículo fica em nome da empresa até a quitação do automóvel.

Suas taxas também não sofrem alterações e nesse financiamento não há cobrança de IOF.

 

Consórcio: essa é uma modalidade de compra baseada em formação de grupos de pessoas com o objetivo de adquirir bens de forma parcelada.

Cada pessoa recebe uma cota – identificação – onde através de contribuições mensais arrecadam o valor necessário para a compra do bem escolhido que é feita através da contemplação do contrato.

Essa contemplação ocorre via sorteio e lance, que a é a oferta feita pelo consorciado.

Possui várias regras específicas e taxas, variando de empresa para empresa.

 

COMO FUNCIONA: FINANCIAMENTO HABITACIONAL

 

O financiamento habitacional pode ser utilizado para imóveis novos e usados também realizada diretamente com a instituição financeira de sua escolha.

É negociado diretamente com o gerente do banco todas as condições como taxa de juros, prazo e valor a ser financiado.

É necessário ter bastante paciência nesse processo pois pode ser bastante burocrático.

Nos tipos de financiamento habitacional abordados aqui o imóvel é do comprador porém não poderá ser negociado até a quitação do financiamento.

 

Os Tipos

 

SFH – Sistema Financeiro de Habitação: nessa modalidade é possível fazer a utilização do FGTS.

Há limites quanto ao limite do valor a ser financiado assim como limites da renda familiar para aprovação do contrato.

Uma “vantagem” dessa modalidade é a cobrança de juros mais baixos.

 

SBPE – Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo: nessa modalidade não há restrição quanto à renda do cliente.

Se o valor do imóvel estiver dentro do limite do SFH, os juros desse financiamento não irão superar a 12% ao ano.

 

Direto com a Construtora:  esse tipo de financiamento costuma ser mais flexível em relação às regras de cobrança de taxas e juros, assim como o limite ao financiar e renda mínima.

No entanto é uma modalidade mais arriscada, uma vez que a construtora pode financiar a construção do empreendimento com um banco, que por sua vez, usa o próprio empreendimento como garantia (funcionando como hipoteca).

Nesse caso, se a você pagar todo o imóvel, mas a construtora não pagar ao banco, você corre o risco de perder o imóvel.

Outro risco é a falência da construtora.

 

CONCLUSÃO

 
Como já dito, a melhor opção para se adquirir um bem será sempre à vista, pois só assim é possível conseguir pagar um preço melhor pelo que foi adquirido.

Mas nem sempre é possível, por exemplo, se você mora em uma cidade onde não há condições para transporte, muitas vezes acaba sendo “melhor” financiar um veículo.

O mais importante, ao financiar é buscas as melhores opções de financiamento, prestando muita atenção nas condições estipuladas nos contratos, assim como taxas e juros cobrados.

Espero que você não precise utilizar essa modalidade, mas se for o caso que esse post te ajude!