GUIA BÁSICO DO TESOURO DIRETO

Considerado o investimento de menor risco, o Tesouro Direto tem sido uma boa alternativa à poupança para proteger o seu capital da inflação.

Altamente indicado para quem possui o perfil de investidor conservador, além de ter liquidez diária é bem acessível!

Para saber mais sobre o Tesouro Direto continue lendo para o que são, seus tipos, vantagens e como investir.

 

O QUE É?

 

O Programa do Tesouro Nacional foi desenvolvido em parceria com a B3 (BM&F Bovespa) para venda de títulos públicos federais para pessoas físicas.

Surgiu em 2002 com a intenção de viabilizar o acesso aos títulos públicos, permitindo aplicações a partir de R$ 30,00.

Antes só era possível comprar esses títulos através de fundos de investimentos de renda fixa, que possui taxas de administração mais altas, o que tornava inviável para quem estivesse investindo pouco.

Hoje é uma alternativa que oferece títulos de diferentes rentabilidades e prazos de vencimento, sendo fácil encontrar um que atenda sua necessidade.

 

TÍTULOS PÚBLICOS?

 

Ao comprar um título público você empresta dinheiro para o governo em troca de receber juros sobre o valor emprestado.

Apesar do nome, um fato interessante é que não há um documento físico que represente o título, e sim um protocolo da aquisição que fica atrelada ao seu CPF podendo ser consultado a qualquer momento no site do Tesouro Direto.

Atualmente é um ativo de renda fixa com menor risco, ideal para quem possui o perfil conservador para investimentos.

 

TIPOS DE TÍTULOS

 

Podemos contar com 5 tipos de títulos públicos:

Prefixado (LTN): aqui você receberá, na data do vencimento, o valor emprestado + juros já pré estabelecidos. Caso ocorra o resgate antes do período você receberá o valor de mercado que pode ser mais, ou menos do que foi investido inicialmente.

Prefixados com juros semestrais (NTN-F): nessa modalidade, os juros serão pagos a cada seis meses até a data do vencimento do título.

Tesouro Selic: esse é o título público com juros pós fixados, ou seja, sua remuneração será baseada na Selic da data do vencimento do seu título.

Tesouro IPCA + Juros Semestrais (NTN-B): seu rendimento possui taxa de juros pré-fixada + a inflação do vencimento. O Pagamento de juros ocorre a cada 6 meses.

Tesouro IPCA + NTN-B Principal: seu rendimento possui taxa de juros pré-fixada + a inflação, porém com o pagamento total na data do vencimento do título.

 

QUAL O MELHOR?

 

Assim como todo investimento, não existe “o melhor” e sim aquele que melhor atende as suas necessidades.

É importante levar em conta alguns pontos antes de avaliar o título que seria ideal para você:

  • Quanto tempo deseja manter esse investimento;
  • Seus motivos para investir (proteger o dinheiro da inflação, ter jutos, etc);
  • Seus objetivos de vida e financeiros.

 

AS VANTAGENS DO TESOURO DIRETO

 

As principais vantagens do tesouro direto são:

  • Segurança: possui 100% garanti do Tesouro Nacional;
  • Alta Rentabilidade: levando em conta que é um investimento de renda-fixa + taxas administrativas e IR;
  • Liquidez: há a recompra dos títulos diariamente com valor de mercado;
  • Acessibilidade: a partir de R$ 30,00, CPF e conta em uma instituição financeira habilitada, já é possível investir;
  • Flexibilidade: diferentes taxas e prazos de vencimento.

 

COMO INVESTIR

 

Como dito anteriormente um ponto forte do Tesouro Direto é a facilidade em investir. Para começar, será necessário:

  • Ter CPF;
  • Conta em corretora ou banco – pesquise sempre as melhores taxas;
  • Será solicitado alguns documentos para cadastro que após aprovação lhe tornará um investidor habilitado;
  • Pesquisar dentre as opções, qual título melhor lhe atende e comprar.

Espero que tenha gostado desse post e caso tenha dúvidas e/ou sugestões deixe nos comentários!