OS 6 PIORES HÁBITOS FINANCEIROS QUE VOCÊ TEM ENSINADO AO SEU(A/S) FILHO(A/S)

Vamos combinar que não existe fórmula mágica quando se trata de educação para os filhos não é mesmo?

E mesmo que para muitos não pareça, crianças são indivíduos, com características próprias que vai definindo ao longo do tempo o caráter e moral do adulto que vai se transformar.

No entanto é sim dever dos responsáveis guiá-los da melhor forma possível.

E se tratando de finanças pessoais, ensinar sobre dinheiro hoje é colaborar para a existência de um adulto financeiramente saudável.

Para isso é preciso prestar muita atenção sobre como você lida com o dinheiro e também o que tem ensinado sobre finanças para seus filhos.

Pensando nisso compilei aqui os 6 piores hábitos financeiros que podem ser ensinados aos pequenos.

Confira quais são e evite-os!

 

DAR RIQUEZA DE DETALHES SOBRE A SITUAÇÃO FINANCEIRA FAMILIAR

 

Dependendo da idade da criança, a concepção de tempo e quantidade pode ser muito distorcida da realidade.

Na prática significa que ao detalhar a situação financeira familiar, poderá deixá-la com a sensação de que o padrão financeiro familiar é muito maior (ou menor) do que realmente é.

E sabendo disso, ela não pensará duas vezes antes de insistir em lhe pedir um bem, que às vezes você não poderá adquirir sem que cause um impacto negativo em suas finanças.

Assim como também pode colaborar para um quadro depressivo, no caso de uma situação financeira mais delicada.

 

ESCONDER POR COMPLETO A REAL SITUAÇÃO FINANCEIRA FINANCEIRA

 

Assim como o primeiro erro, essa situação também poderá prejudicar na educação financeira do seu filho/a.

Não saber a real situação financeira familiar implica no desenvolvimento de uma visão distorcida da economia familiar.

Assim, é possível que essa criança não desenvolva no futuro nenhum senso de colaboração e terá grandes dificuldades em lidar com a frustração financeira no futuro.

Então, o “correto” é o meio termo, desenvolver nos pequenos o quanto antes que “dinheiro não dá em árvore” e que para a manutenção do padrão financeiro é necessária a colaboração de todos – tudo isso de acordo com a idade em que seu filho/a se encontra.

 

SUSTENTAR UM PADRÃO DE VIDA INCOMPATÍVEL COM A REALIDADE

 

O SPC já divulgou pesquisas, realizadas com mães, que afirmam que o padrão de vida dos filhos é superior do restante da família.

E no que isso implica?

Percepção dos valores que a criança terá em relação à vida.

Veja que a mensagem que a criança recebe é que ter é o mais importante, não importa se é possível bancar ou não.

Não sendo bastante, aprende desde cedo a viver de aparências. Um dos maiores causadores do endividamento dos adultos brasileiros.

Que como consequência gera a ansiedade de manter a aparência à qualquer custo.

 

RECOMPENSAR FINANCEIRAMENTE AS TAREFAS DE CASA

 

Muito comum esse erro.

Esse tipo de atitude colaborar com a perda de autoridade dos pais.

No dia em que não puder recompensar seu filho/a, financeiramente, pela manutenção do lar, no qual ele faz parte, ele simplesmente vai optar em não colaborar com as atividades de casa, afinal ele aprendeu que só deve fazer se for remunerado.

 

RECOMPENSAR FINANCEIRAMENTE AS BOAS NOTAS

 

Estudar é uma das “obrigações” das crianças.

Assim como brincar, ser protegida, e ser educada.

Ao praticar esse hábito, é reforçado à criança que o que importa é somente o resultado (nota) e não o aprendizado.

E o pior, pode ser extremamente prejudicial no caso de uma criança que de fato possua dificuldades de aprendizado.

Já pensou nisso?

 

CARTÃO DE CRÉDITO SEM LIMITES

 

Aqui já não só as crianças que estão sujeitas mas também os adolescentes.

Tem sido cada vez mais comum, pais fornecerem um cartão de crédito para seus filhos.

E os problemas?

Vários, mas citarei os dois piores:

  • Cartão de crédito não ensina a poupar, ensina a gastar!
  • Um cartão de crédito com limites altos passa a mensagem de que o dinheiro é “infinito”.

 

A SOLUÇÃO?

 

Se você não faz ideia de como começar a educação financeira de seus filhos ou quer eliminar alguns desses hábitos, uma boa opção é implementar a mesada.

Ela é uma excelente ferramenta de ensino sobre finanças pessoais, tanto para os pais, quanto para os filhos.

Nesse artigo você você encontrará um guia básico para implementar a mesada.
 

GOSTOU DESSE POST? ENTÃO SE CADASTRE NA LISTA VIP E NÃO PERCA NENHUMA NOVIDADE!