Minimalismo, você já ouviu falar?

Em tempos de excesso de informações, propagandas e incentivo desenfreado ao consumo eis que “surge” um estilo de vida que preza que menos é mais, vem tomando força.

Estou falando do minimalismo, algo que tem sido adotado por várias pessoas – inclusive pela pessoa que aqui escreve –  como estilo de vida.

Mas calma, não se trata de uma seita, religião nova, partido ou doutrina, não!

O minimalismo trata de forma bem simples e básica a redução ao mínimo o emprego de elementos ou recursos.

Está meio esquisito?

Então continue lendo para entender melhor o que é o minimalismo e porque você deveria dar uma chance a esse estilo de vida.

 

Mas afinal, o que é esse minimalismo?

 

Confesso que não sou nenhuma Expert no assunto (e no final desse post deixarei algumas referências sobre minimalismo), mas prometo que irei compartilhar aqui tudo o que sei e que venho praticado!

Apesar de ser uma palavra que está na moda, o minimalismo surgiu aproximadamente na década de 60 como um movimento artístico que visava fazer uso de poucos elementos como base para expressão.

Como um estilo de vida ele surge para fazer oposição ao consumo desenfreado que estamos sofrendo cada vez mais.

De forma bem simples, é possível entender o minimalismo como:

  • Viver com o que é verdadeiramente necessário para você (sim, você, afinal o que é necessário para você pode não ser para o próximo e vice-versa);
  • Viver de forma simples, independente da quantidade de bens materiais e saldo bancário que possui;
  • Ser livre, dos padrões (principalmente de consumo) impostos pela sociedade;

É interessante também dizer o que minimalismo não é, pois já foi muito confundido com:

  • Voto de pobreza;
  • Viver com quase nada, abdicar de bens materiais;
  • Viver como um andarilho.

Entenda que não há uma crítica em que opte por esses últimos 3 itens, apenas achei interessante destacar que essas atitudes não fazem parte de uma vida minimalista.

E o legal de tudo isso é o minimalismo pode existir em vários aspectos, níveis de envolvimento, etc. Você pode encontrar pessoas milionárias que adotam um estilo de vida minimalista, por exemplo.

 

Minimalismo e a relação com finanças pessoais

 

Não tenho dúvidas quanto aos benefícios em se adotar um estilo de vida minimalista e como planejadora financeira sei o quanto precisamos e devemos gastar e consumir.

O consumo não é vilão, não é errado.

O problema como quase tudo em nossa vida é o excesso.

Sem sombra de dúvidas que a boa parte dos minimalistas não possuem grandes preocupações com suas finanças e conseguem aproveitar muito bem seu dinheiro, investindo (sim, minimalistas investem), gastando (com qualidade) e usufruindo de uma qualidade de vida acima da média.

 

Por onde começar?

 

Não existe receita, regras ou carteirinha de associado do minimalismo,  mas há sim, algumas dicas que podem ajudar a você a desenvolver uma postura de vida mais minimalista.

Deixarei aqui as dicas que usei (algumas ainda uso) que me ajudaram muito:

  • Abrir a mente: sair do ciclo vicioso que é o consumo pode ser mais desafiador do que se imagina;
  • Praticar o desapego em casa: adote uma regra do tipo “se está há 6 meses sem uso, não preciso mais”;
  • Quando for adquirir um bem, pense mais na qualidade do que na quantidade;
  • Busque refletir sobre a origem de tudo que você consome e se isso está de acordo com seus valores pessoais;
  • Desapego também dos problemas (emocionais por exemplo);
  • Pesquise (e muito) sobre tudo!

A minha percepção final desse estilo de vida é que o minimalismo está muito mais alinhado ao que você é do que o que você tem.

E se um estilo de vida assim é algo que você também busca e/ou se gostou desse post e quer aprender mais sobre o assunto, indico:

  • Minimalism: A Documentary About the Important Things – documentário do Netflix
  • Minimalismo: Simplifique sua Vida – ebook disponível no Amazon
  • O mínimo do minimalismo: Tudo o que você precisa saber para simplificar sua vida – ebook disponível no Amazon.

E se você é adepto ao minimalismo e gostaria de indicar mais sobre o assunto, compartilhe nos comentários!